segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Clandestino, poesia finalista no XXV Concurso de Poesias Augusto dos Anjos

Apresentação no Museu Espaço dos Anjos, em Leopoldina, MG, dia 11 de novembro de 2016

CLANDESTINO

Autora: Zenilde Rodrigues Soares (Belém/PA)
Pseudônimo: Icamiaba
Intérprete: Amanda Ferraz

Muito antes da tua chegada
Tu já estás aqui comigo
Porque sei de tuas vindas
Ainda que calada
Seja a tua boca.

Sei do teu estro desgovernado
Amarrado
Nas linhas das minhas mãos

Teu corpo suado sobre o meu coração.

Amor de era e de hora
Amor de agora
Da ternura fugaz e itinerante

Retirante das candentes madrugadas.

Tua fome me consome
Com a volúpia indomada dos navegantes
Seca a fonte do meu cio
Represado em mananciais de solidões.

Depois abandonas a tua pele
No remanso sonolento da luxúria
E partes silencioso
Enquanto o prazer não cessa de doer
Em mim.

Tu foges para paisagens de esquecimento
Deixando apenas as marcas das tuas pegadas

Gravadas em silêncios fatiados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário