sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Roda da Vida, poesia finalista do XXV Concurso de Poesias Augusto dos Anjos

RODA DA VIDA

Autor: Leandro Campos Alves (Caxambu/MG)
Pseudônimo: Destino
Intérprete: Fabrício Manca
A vida nos ensina,
cuida, castiga e reprime.
Ama, revolta e oprime.
Alegria, felicidade e verdade,
são opostas dessa realidade.

Subimos ao céu dos prazeres,
e caímos, ao inferno dos deveres.
Somos homens imperfeitos e errantes,
somos todos do destino marcantes.

Passageiros desta louca roda chamada vida.
Nossos destinos são normas prescritas?
Ou, escrevemos a nossa própria vida?

Nossos dias passam,
são segundos, minutos, horas.
Os anos podem ser longos,
curtos não importa.
Somos todos passageiros deste expresso,
esperando o nosso regresso.

Se viemos da eternidade para a vida,
e vivemos preparando para o retorno,
por que entramos neste expresso?

Amores nascem e morrem.
Vidas crescem e povoam.
Como os dias que se sucumbem na escuridão da noite,
um dia nos renderemos ao cansaço do tempo.
E a noite será eterna.

Mas a escuridão também tem seu apreço,
que nos mostrará o outro lado da alma.
Do espirito, do destino, da fé.

Quando o desembargue dessa roda da vida,
na estação da morte chegar.
Vamos encontrar o nosso lugar,
e descobriremos que a vida só vale a pena,
se vivermos a cada momento,
como se fosse o derradeiro segundo,
da vida louca deste mundo.

2 comentários:

  1. Parabéns a todos finalistas e a Academia Leopoldinense de Letras pelo sucesso do XXV concurso de poesias Augusto do Anjos.

    Saudações Literárias e acadêmicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradecemos pelos cumprimentos também em nome da Secretaria Municipal de Cultura de Leopoldina, promotora do evento.

      Excluir