sábado, 26 de novembro de 2016

Oco Domingo, poesia finalista no XXV Concurso Nacional de Poesias Augusto dos Anjos


OCO DOMINGO

Autor: Carlos Uitalo dos Santos Castro (Salvador/BA)
Pseudônimo: Witalo Wonka
Intérprete: o autor

A casa vazia,
Os discos no chão,
O vento na fresta
E a alma na mão...
Que tarde sem gosto
E as horas não passam!
Pirraçam ponteiros,
Ponteiros pirraçam...
Que tarde vazia!
Meu corpo no chão,
Reparo na festa
Que faz Solidão.
O tempo indisposto
E as horas não passam!
Pirraçam ponteiros,
Ponteiros pirraçam...
Que tarde vazia!
Arroz e feijão...
Um copo pretende
Me dar ilusão
- Que o vinho é sem gosto
E as horas não passam! -
Pirraçam ponteiros,
Ponteiros pirraçam!
Lá fora irradia
Um sol de verão,
Cá dentro um deserto
Se fez cada vão.
Me rendo ao desgosto,
Se as horas não passam:
"- Me façam ponteiros,
Ponteiros me façam!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário