quinta-feira, 24 de abril de 2008

Reunião Festiva da ALLA comemorando os 154 anos de Leopoldina

ATA  DA  REUNIÃO  DA  ACADEMIA  LEOPOLDINENSE  DE LETRAS  E  ARTES - ALLA, REALIZADA  EM  24/04/2008


Em solenidade realizada na noite desta quinta-feira, 24 de abril de 2008, como parte das festividades de aniversário da cidade, que comemora 154 anos neste domingo, foi instalada oficialmente, no auditório do CEFET – Centro Federal de Educação e Tecnologia de Minas Gerais, localizado na Rua José Peres, 558 a Academia Leopoldinense de Letras e Artes, ALLA, fundada 13.02.2008.
         Dando início à Reunião, o grupo “Antique”, de música barroca, apresentou três números, sendo um deles a composição “Morcego”, baseada numa poesia de Augusto dos Anjos, poeta celebrado com carinho em Leopoldina, onde viveu. A melodia é da autoria de Nestor de Holanda Cavalcanti. O grupo musical, já bastante conhecido na cidade, foi organizado e regido por José Gabriel do Couto Viveiros Barbosa, sendo, ao concluir, muito aplaudido. Em seguida professoras do Conservatório “Lia Salgado” cantaram o Hino Nacional e o Hino a Leopoldina, cuja letra é de autoria do Cônego Gerardo Naves.
         Composta a mesa, sob a presidência de Ronald Alvim Barbosa, também presidente da ALLA e tendo como secretário José do Carmo Machado Rodrigues, foram formalmente iniciados os trabalhos. No seu pronunciamento o acadêmico Ronald Alvim, presidente da ALLA, dirigiu-se aos presentes para justificar o encontro. Depois de explicar as finalidades da Academia, disse que, a partir de agora, ela espera marcar presença na vida cultural de Leopoldina, participando de fatos e eventos que possam contribuir para divulgar a literatura e as artes da cidade e dos seus munícipes. Sua expectativa é a de transformar-se num fórum cultural, onde sejam levantados e discutidos os acontecimentos relativos aos assuntos dessa natureza, de interesse da intelectualidade leopoldinense.
O acadêmico Luiz de Melo Sobrinho fez também um rápido pronunciamento sobre todos os múltiplos aspectos da civilização grega e declamou um soneto, “Perenia”, de sua autoria, nos seguintes versos:
“Os deuses do Olimpo não perdem de vista / Os fatos e feitos que os homens produzem. / Na luta incessante por toda conquista, / As mentes são barcos que os divos conduzem. // Mercúrio desvenda o traçado da pista / E ofusca emboscadas que os fracos seduzem. / Sutil e matreira, Minerva revista / As mentes sagazes que às artes induzem. // As lendas e mitos são partes da vida. / São forças fecundas da escola que ensina / As sendas certeiras da busca incontida // Da glória e cultura, da sorte e da sina. / Por Zeus e seus pares terá sobrevida / A Athenas da Mata que foi Leopoldina.”
Com os aplausos que se seguiram a estes lindos versos de bons presságios ao futuro da ALLA, introduziu-se a palestra de Nilza Cantoni e de José Luiz Machado Rodrigues, ambos historiadores e genealogistas, muito conhecidos e respeitados na região. Os palestrantes foram apresentados pelo acadêmico José do Carmo, que destacou o trabalho dos dois pesquisadores e o serviço que têm prestado ao resgate da história leopoldinense, com especial destaque para a Colônia Constança, marco inicial da colonização italiana entre nós. José do Carmo citou também o “site” na  Internet, elaborado e conduzido por Nilza, sempre um repositório histórico da mais alta importância para reconstituir a história da cidade. 
         Encerrada a palestra a dois, aplaudida com entusiasmo pelos presentes, o presidente da Academia Ubaense de Letras, Manuel Brandão Teixeira, convidado especial para o evento, fez um rápido pronunciamento desejando belo futuro para a ALLA.
         A seguir, foram chamados nominalmente os oito acadêmicos fundadores da entidade, sendo entregue a cada um o seu respectivo diploma. Receberam a honraria, Ronald Alvim Barbosa, cadeira nº 01, patrono: Irineu Lisboa; Glória Maria de Azevedo Barroso, cadeira nº 02, patrono: Miguel Torga; Déa Lustosa Junqueira Xavier, cadeira nº 03, patrono: José Monteiro Ribeiro Junqueira; Arnaldo Spíndola Maximiano, cadeira nº 04, patrono: Judith Lintz Guedes Machado; José Gabriel Couto Viveiros Barbosa, cadeira nº 05, patrono: Clovis Salgado; José do Carmo Machado Rodrigues, cadeira nº 06, patrono: Maria Machado Rodrigues (Professora Da. Pequetita); Luiz de Melo Sobrinho, cadeira nº 07, patrono: Oiliam José; e, José Barroso Junqueira, cadeira nº 08, patrono: João Barroso Pereira Júnior.
Flora Bouzada de Melo, empresária do ramo de perfumes, ofereceu um brinde aos novos “imortais”, recebido com carinho pelos homenageados.
         O evento contou com a participação de 140 convidados – relação no Livro de Presenças - entre estes as presenças honrosas, do Presidente da Academia Ubaense de Letras – AULE, Acadêmico Manoel José Brandão Teixeira, da Senhora Secretária de Cultura de Ubá, Maria Elizabeth Barros, do Acadêmico Antonio Carlos Estevam, da AULE, do ex-Deputado Estadual e atual presidente do DETEL, Benedito Renó Guedes e esposa.
         Com a diplomação dos oito fundadores da ALLA foi, pelo Presidente, encerrada a reunião festiva, fixada a próxima reunião para 6 de maio vindouro, às 20:30h, e, eu, José do Carmo Rodrigues, 1º Secretário, sobre anotações do 2º Tesoureiro, José Barroso Junqueira, compus a presente Ata, que vai por mim assinada e pelo Presidente, Ronald Alvim Barbosa.
        
Leopoldina, MG, 24 de abril de 2008.

 ______________________________   _________________________________
        Ronald Alvim Barbosa – Presidente                     José do Carmo Rodrigues – 1º Secretário





            

Nenhum comentário:

Postar um comentário