Cadeira 04AJ: Fernando Sabino

Discurso de Posse do Acadêmico Jovem: Lucas Benício Lourenço Melo

Boa noite e obrigado a todos pela presença. É muito importante para mim e para todos nós trilharmos mais esse caminho.

Graças à realização do concurso literário que a ALLA promove todos os anos, este deu-nos a possibilidade de nos tornamos os primeiros sete membros da Academia Jovem de Letras e Artes. Assim, devo meus sinceros agradecimentos também a toda a equipe de acadêmicos que nos deu essa oportunidade.

Como é de praxe, tive que escolher um patrono, para me representar e também representar a cadeira de número 04 da Academia Jovem, e depois de muita procura, cheguei à conclusão de que o meu melhor representante seria o ilustre escritor brasileiro, Fernando Sabino. Esse grande artista das letras escreveu inúmeras obras, incluindo a minha crônica preferida, “A última crônica”, que foi a primeira desse gênero literário que li, e depois, nunca mais esqueci, pois nos mostra que em um mundo como o que vivemos hoje, o fato mais importante de todos, digno da última crônica de um renomado escritor, é simplesmente um sorriso, o amor, a simplicidade e a família.

Fernando Sabino, além de ter uma história muito importante e inestimável, ainda apresenta aquela ligada à nossa cidade. Seus pais, Odete Tavares e Domingos Sabino, tinham Leopoldina como seu lar, como o próprio filho escreveu no livro “A inglesa deslumbrada”, “Leopoldina, doce de manga, terra dos meus pais...”. Ademais, cita Leopoldina em sua célebre obra, “O grande mentecapto”, reforçando ainda mais o amor pela mineira terra de seus pais, que, gostosa como doce de manga, adoçava a sua vida como a de todos que passavam por aqui, antigamente e até hoje.

Portanto, eu quero agradecer novamente a todos os integrantes da ALLA, em especial a meus queridos professores, Natânia Nogueira e Ana Cristina Fajardo, bem como Arnaldo Espíndola, por me ajudarem neste caminho. Também preciso agradecer a todos os meus outros professores, que além de terem ajudado na minha formação intelectual, contribuíram veementemente para a minha formação moral. Agradeço também à minha família, particularmente a minha mãe, que me ensinando a nunca deixar para fazer amanhã o que pode ser feito hoje, ou me dizendo que nenhum obstáculo será grande se a minha vontade de vencer for maior, me incentiva cada vez mais todos os dias, e me auxilia a alcançar todos os meus sonhos, como este, o qual estou realizando agora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário