sexta-feira, 21 de julho de 2017

Círculo de Leitura: agosto de 2017

A próxima reunião do Círculo de Leitura acontecerá no dia 17 de agosto, quando serão comentadas duas obras. Uma delas, de Jorge Amado, é Capitães da Areia, de 1937.





O tempo vai fechando de vez no país. É a ditadura do Estado Novo que se implanta. Recolhido na cidade de Estância, no interior de Sergipe, Jorge Amado começara a escrever um outro livro, terminando a sua redação já a bordo do navio Rakuyo Maru, em viagem para o México. É Capitães da areia.
Uma história dos meninos-de-rua da Bahia, na década de 30. Narrativa do amor de Dora e Pedro Bala. Peripécias do bando de menores que perambula perigosamente pelas ruas e pelo cais de Salvador, cidade “negra e religiosa”, onde se projeta a personalidade da ialorixá Aninha, mãe-de-santo do Ilê Axé Opô Afonjá. Dora morre, doente, no trapiche enluarado. Pedro Bala é preso, foge, mete-se em greves de estivadores, até que se converte em “militante proletário, o camarada Pedro Bala”. O problema é que o livro é publicado em 1937, logo em seguida à implantação do Estado Novo, regime violentamente anticomunista. Assim, a edição é apreendida – e exemplares do livro são queimados em praça pública, na Cidade da Bahia, por representantes da ditadura. Mas de nada adiantou. Quando pôde voltar à cena, Capitães da areia conquistou o grande público e é ainda hoje um dos maiores sucessos de Jorge Amado.

Se você já leu, venha conversar conosco e apresentar suas impressões. Se ainda não conhece, aceite nosso convite para ler e participar do nosso encontro dia 17 de agosto, no Centro Cultural Mauro de Almeida Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário